terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

chão de cozinha

Quisera eu morar na sua rua
Fazer com que a banalidade dos dias passasse despercebida
Quisera eu ser livre da porta pra dentro
Há de chegar meu tempo!

Tempo parece suspender a gente no ar
faz ver de longe o tamanho da saudade

Rasga, inverte, adentra sem pedir licença!
Parece onda do mar
saudade

faço planos
faço receitas inventadas na hora!
durmo tarde, durmo mal
e acordo cedo pra te dar ‘bom dia’
na fé de que dia desses eu acordarei do lado seu
bagunçarei o cabelo seu
serei seu
serei sua

Seguidores