sábado, 18 de novembro de 2017

Expresso

1. Covarde

 - Ausência de bravura; que demonstra fraqueza, falta de coragem. Atitude ou gesto que se caracteriza pelo temor, pelo acanhamento, pela falta de ousadia. -

Confundo o som de dentro com o som de fora.
Parece um surdo, me deixa surda.
Às vezes, parece que bombeio o sangue com um coração maior do que meu corpo pode abrigar.

Silencio. Repenso. Reacordo todos os dias.
A rotina se estabelece e fico refém de coisas que não foram escolhidas, como aquela amora no galho mais alto.
Eu tentava pegar sozinha, esticava cada 1,51 de mim e quando levava à boca.. ah! A melhor amora foi escolhida. Assim eram com as goiabas, acerolas, mangas.

Eu não dava importância pros machucados, meus responsáveis, às vezes.. quando descobriam, apenas.
Eu não dava importância pro peso. Nem pro trabalho.

ainda sou criança, só que a brincadeira agora segue as regras da CLT.
(não é tão divertido mais, só que somos treinados a aceitar tudo como algo """bom""")
Seguem os jargões:
Jamais reclame da sua rotina exaustiva e pouco remunerada. Milhares de pessoas dariam tudo pra estar no seu lugar.
Se você quer ganhar mais, faça por onde.
Tudo pode ser, se quiser será.
O sonho sempre vem pra quem sonhar.
Tudo que você quiser o Cara lá de cima vai te dar. Te dar toda coragem que puder.
Obs: ler a palavra 'coragem' com bastante ênfase e paixão.


2. Medo

- Estado emocional resultante da consciência de perigo ou de ameaça, reais, hipotéticos ou imaginários; ausência de coragem. -

Era uma tarde de quinta. Qualquer.
A TV falava sozinha na sala, não parava de chover o dia inteiro. A cozinha do almoço ia ficando pra depois de depois..
em meio a brinquedinhos, fralda cheia de xixi, um saco de bicos (todos meus), pela primeira vez em vida eu me levantei apoiada no pé da cadeira. Avistei um objetivo. Coloquei o joelho ao alto e marchei. Caí em seguida, óbvio.

Queria mesmo me lembrar do meu primeiro passo. Mas essa é só minha visão poética de como teria sido..
Importante: o medo não é um processo natural. Se você tem medo de dar um passo (independente de QUALQUER coisa) busque a sua versão poética de como você deu o seu primeiro passo em vida, se inspire e conquiste o mundo. É tudo nosso!
Obs: usar tom de ironia e sarcasmo nas duas últimas frases.

Vão te colocar dentro de uma caixa, e caso você tente sair, o nome disso é medo.

Sigo tentando ter uma noite de sono inteira, e após uma, quero 7, após 7, quero 30.
Mas ainda não saí da uma.
Sigo.

às vezes, paro, quero ir embora dessa vida. Mas a vida me segue.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

vai dia
vai mês
vai ano

faço pinturas com o tal do futuro
tem batom vermelho
tem incensos
tem todas as cores
tem você

eu e você

'você transborda'
sim
todos os dias
como não?

- tenho em mim todos os sonhos do mundo -
e um amor que me faz. Literalmente.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

mal-acabado(a)

cigarro

não dá pra fumar sem respirar devagar
música, livros, terapia, meditação, incenso, filmes
só leva a mente
só leve a mente
mas, ah o cigarro!

acalma a respiração
faz mal tanto quanto (me) faz bem

não resolve um único problema (nós humanos gostamos de cultivá-los)

acho que na verdade o segredo não são as substâncias tóxicas que bagunçam o organismo, o segredo é a fumaça fétida, forte e quente

acalma

a sensação que o cigarro causa é o que eu quero, não o cigarro.
aí mora o meu maior impasse no momento: nada que eu faço é tão suficiente quanto uma lenta e boa tragada.

eu ainda não o fiz, mas quero.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Usei meu chapéu hoje.
Limpei um pouco da poeira de um longo verão guardado e foi como se um rio de lembranças percorresse todo o meu corpo..
Quando a mente volta pra casa a milhão não se vê o ponto certo de desembarque. Desce num susto! Há algo no estômago que parece um nó e alguma coisa faz os pulmões diminuírem.
Me falta tanta coisa e o ar principalmente. Sem saber como, entro em outro ônibus, certa de que o certo é uma bobagem!
Me vejo. Poço de vacilos. Por favor, sem dó.
Erro comigo. Com tantos
Com quem eu não queria
Parece que me desmancho junto à janela. Onde encontro o caminho de volta? Preciso dizer alguns ‘nãos’ ao tempo pra assim ter mais tempo de me achar menos estúpida.

‘cada badalo do relógio é um - nunca mais-‘

Nunca mais.

Nunca.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

chão de cozinha

Quisera eu morar na sua rua
Fazer com que a banalidade dos dias passasse despercebida
Quisera eu ser livre da porta pra dentro
Há de chegar meu tempo!

Tempo parece suspender a gente no ar
faz ver de longe o tamanho da saudade

Rasga, inverte, adentra sem pedir licença!
Parece onda do mar
saudade

faço planos
faço receitas inventadas na hora!
durmo tarde, durmo mal
e acordo cedo pra te dar ‘bom dia’
na fé de que dia desses eu acordarei do lado seu
bagunçarei o cabelo seu
serei seu
serei sua

domingo, 25 de janeiro de 2015



Mapa

era o limite
era sal
era..
ainda quero entender porquê não dividia a vida com você antes..
não sabia quão gigante sou
sou um gigante
era domingo
era manjericão
fico colorindo uma casa de esquina na minha mente/coração
branca, quintal
era mar
Maria
repasso dia por dia na minha mente
7
sorrio e parece que o mar veio junto com os meus olhos pra casa
é sal
é o limite

me conheço melhor quando te faço dormir passando a mão no seu cabelo longo
deita?

Seguidores