domingo, 30 de janeiro de 2011

Foge com meu sono

Estou cheia de cola agora.
Eu explico...
Eu fiquei em pedaços. Literalmente. E agora eu tento me refazer. Por isso a cola. Líquida. E sinceramente não sei se está funcionando ou se vai funcionar.



Quando você diz que me ama, que sente a minha falta, que eu sou seu tudo eu sei que sou pra você o que você quiser que eu seja. Mas o seu “eu te amo” é como se fosse “bom dia” para mim. Correção... o meu “eu te amo” é como se fosse “bom dia” pra você (s). Pra mim. Não quero isso.
Essa nossa relação hoje é amizade por que não foi mais nada antes. E eu nem sei se daqui pra frente algo vá funcionar.
Eu te chamo e você nunca vem.
Sinto sua falta.
Sempre senti sua falta.
E pra sempre te amarei.

Estou tentando ficar bem... mas não está funcionando agora.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sem título.


Quando eu te chamo talvez você não tenha noção do quanto é importante para mim...
É quase um último suspiro implorando pela sua atenção. Coisa que você não faz. Você talvez não saiba ou não quer falar a respeito mas não ame, não me ame por troca. Amar quando, porquê, se, às vezes. Isso não é amor. Não tô pedindo dedicação por 24 horas ou 365 dias. Tô pedindo pra você me deixar se não for me amar. Por que eu não sei deixar você.
Não iria assumir nada pra ninguém a menos que fosse você. Tem coisas que são importantes só pra nós mesmos por isso não falamos delas. Não me diga o que é certo ou errado porque isso é único nesse caso. Tudo é relativo mas nem tudo é necessariamente eu. Você.
Daqui a alguns anos isso não será relevante. Mas que besteira é contar com o futuro se o que eu sinto tá acontecendo agora!
Pode ser que seja sábia essa prevenção para o futuro. Como saberemos?
Não pode ser que nada do que acontece agora seja de real valor ou nenhum valor.
Não é medo de um não. É medo de um sim.
Aliás eu sou a pessoa mais medrosa do mundo. Do mundo. E isso não é preguiça.
Penso tanto antes de fazer algo que para todos é comum, simples ou banal que o tempo passa e eu não faço nada. Só imagino o que seria de mim se tivesse feito como uma sentença para o resto da vida.
Não sei porquê escrevi isso.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Saudades...

Saudades de você em mim...


Da sensação gostosa de quando me perdia sem saber onde eu terminava e onde começava você.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ninguém fala

Não falar algo é diferente de mentir. Não tem nem comparação.
Todo mundo tem coisas de que não fala... não por falta de querer mas por não falar. Por não ser da conta de ninguém além de você.

Uma vez eu li que nós temos mania de pensar alto. Soltar frases que não é da conta de ninguém..

Talvez o problema esteja em conseguir diferenciar o que deve ser dito e o que não deve porque a linha que diferencia essas duas coisas é tão frágil que vivemos quebrando e ultrapassando essa linha sem nem perceber.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Seguidores